ABR - Academia Brasileira de Rinologia

Pergunte ao Especialista

Sinusite tem cura?
Dr. Fabio de Rezende Pinna / Prof. Dr. Richard L Voegels
Este pergunta é frequentemente feita por pacientes durante consultas médicas. Para responder adequadamente, devemos ter em mente que as sinsuites, ou mais adequadamente, as rinossinusite podem variar muito sua apresentação de acordo com a etiologia, duração e etc. Uma rinossinusite viral, por exemplo, muitas vezes se assemelha a um quadro gripal. Nestes casos, o tratamento é guiado por sintomáticos, lavagem nasal e a "cura" ou alívio dos sintomas pode aparecer em poucos dias.

As rinossinusites agudas bacterianas geralmente são caracterizados por dor de cabeça e face, tosse, febre, nariz obstruído, secreção nasal esverdeada e etc. Nestes casos, podem ser receitados antibióticos e outros sintomáticos. Costuma haver uma resposta muito boa à antibióticos, cuja prescrição é tarefa exclusiva do médico. Em poucos casos, não há melhora definitiva com uso de um ciclo de antibiótico, podendo ser necessário o uso de um novo ciclo de antibiótico de maior espectro. Nestes casos, o índice de cura é muito alto.

No entanto, nos casos de rinossinusites crônicas, com duração dos sintomas superior à 12 semanas, podemos lançar mão de antibioticoterapia prolongada, corticóide tópico. Em alguns pacientes, a cirugia pode ser necesária para facilitar a drenagem natural dos seios paranasais, ou, eventualmente, para retirada de alguns pólipos nasais.

No caso das rinossinusites crônicas, alguns pacientes ficam totalmente assintomáticos após tratamento clíncio ou cirurgias . Todavia, há, realmente, uma parcela de pacientes, que após um tempo, pode voltar a apresentar sintomas de rinossinsuite crônica. Nesta situação, dependendo do caso, pode-se lançar mão de um tratamento clínico prolongado ou até de uma nova cirurgia. Nestes útlimos casos, orientamos ao paciente que é necessário um acompanhamento mais prolongado, e que, só assim, pode haver uma melhora mais persistente dos sintomas.

Pacientes com algumas outras doenças associadas como fibrose cística, imunodeficiêncais, granulomatoses, asma podem também ter uma resposta heterogênea. Entretanto, atualmente, é possível melhorar em muito as principais queixas destes pacientes, especialmente quando este é visto por médicos de diferentes especialidades. Assim sendo, as rinossinusite, de acordo com a sua classificação, podem ter várias formas de tratamento e várais respostas ao tratamento. Seja qual for o tipo de rinossinusite ou o tipo de resposta ao tratamento, o mais importante é que o paciente vá ao médico e, ser for necessário, faça um acompanhamento adequado. Só assim será possível uma melhora definitiva da qualidade de vida do paciente com rinossinsite. Todas as forams de rinossinsite são passíveis de tratamento adequado. Afirmações como "A minha sinusite não tem cura" não são verdadeiras. Mesmo em casos mais complexos, as sinsusites contam com excelentes formas de acompanhamento com grande melhora da qualidade de vida.

Seu Médico

Localize o especialista mais próximo de você

GN1 Copyright 1974-2017 - Academia Brasileira de Rinologia -
Av. Indianópolis, 1287 - Planalto Paulista - São Paulo - SP - Fone: (11) 5053.7500